Um Pouco de História

Caixa de texto: Caixa de texto: Caixa de texto:

Fazenda do Cré

Caixa Postal 825-H Murteira de Cima

8700-122 MONCARAPACHO

ALGARVE - PORTUGAL

(+351) 917 346 718

(+44) 7752 388 577

info@fazendadocre.com

Produzido por A. Salvado

Última Actualização 21-10-2013

Logo FazendaEnglishPortuguês

Sabores

Prazeres

Viver

e

Bem Estar

Logo Fazenda

A Fazenda do Cré ganhou o nome por possuir nos seus terrenos Cré.

O cré consiste numa rocha sedimentar esbranquiçada, macia, de grão fino, constituída por carbonato de cálcio (CaCO3).

Extensivamente explorada em pedreiras para uso no cimento, cal e argamassa e ainda para o fabrico de cosméticos e pastas dentífricas.

 

(Fonte: cré (giz). In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2013. [Consult. 2013-08-25].

Disponível na www: Infopedia)

A Fazenda do Cré é uma quinta com 4,5 hectares que pertence à família Lã desde 1930. A família Lã é uma família tradicional de Faro. Infelizmente, o chamado palacete dos Lãs foi destruído para dar origem a um supermercado.

 

A Fazenda do Cré foi comprada pelo meu bisavô e passou de geração em geração até aos dias de hoje.


Com a morte dos meus avós, a Fazenda do Cré esteve abandonada durante cerca de 20 anos. Embora tenhamos nascido e vivido em Lisboa, todos os anos íamos passar as férias de Verão à Fazenda do Cré, por isso nós temos imensas recordações de infância.

Nesse tempo a Fazenda do Cré funcionava em pleno como uma quinta rural.

 

Nós ajudávamos na rega do pomar, apanhávamos erva para dar aos coelhos, dávamos as maçarocas de milho aos porcos e às galinhas e, com algum receio, íamos buscar os ovos ao galinheiro. O leite, comprávamos na Casa Amarela onde íamos todos os dias de bicicleta. Mas o melhor de tudo eram mesmo os banhos nos tanques de rega.

Lembro-me do pão ser feito no forno a lenha e da minha Avó fazer os licores com a ajuda de uma criada. Assim surgiram os Licores da Fazenda do Cré – Licores Tradicionais do Algarve.


Enfim, já passou tanto tempo! O tempo em que éramos felizes incondicionalmente.

E foram essas recordações que me motivaram a recuperar a Fazenda do Cré.

Por mim, pela minha mãe e por toda a minha família.


Assim, mudei-me de armas e bagagens para a Fuzeta e comecei uma nova fase da Fazenda do Cré. Recuperei a casa e recomecei a produção dos licores a partir do que aprendi com a minha Avó. Primeiro o Licor de Alfarroba e o de Canela. Seguiram-se os de Erva-Doce, Alecrim, Funcho e Orégãos. Mais tarde os de Figo, Amêndoa e Poejo.

O Licor de Menta e Limão foi criado a partir de ideias dos meus clientes, que me sugeriram um aroma mais fresco para o Verão. Os aromas mais recentes são os de Medronho e de Tangerina.


Quanto à casa, recuperei-a mas fiz questão de conservar as suas características originais. É constituída por um T2 e por um T0. O T0 está disponível para aluguer para férias ou fins-de-semana.

 

Estamos sempre abertos e se quiser vir conhecer os nossos produtos teremos muito prazer em recebê-lo.

 

 

Ana Lã